segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Quando a piada não tem graça nenhuma.

Sala do Palácio do Planalto, foto de Dircinha

A síntese (agrupamento de fatos particulares em um todo que os abrange e os resume) não é algo fácil, pois depende de boa vontade e interpretação de quem lê.
E ler, atualmente, parece ser algo desnecessário.
E pensar no que foi lido mais ainda. Por isso somos o país das piadas.

Há quem as defenda porque mostram uma irreverência que só o brasileiro tem. No fundo mostra uma incapacidade em assumir as verdades e os problemas.
Ao encerrar uma postagem com uma frase que para muitos é uma piada, mas que para mim é uma síntese completa do que somos, dois comentários me chamaram bastante a atenção.
Um especialmente pela ira e o outro por descontextualizar justamente a função da colocação dessa suposta piada ao final da postagem.

Para não deixar dúvida de que não se tratava simplesmente de uma piada, um claro " Típico da Identidade Brasil:" precedeu a frase que, aí deve estar o motivo da ira, falava de um certo presidente.
Um simples exercício de raciocínio lógico bastaria para entender que, sutilmente, a proposta da piada para encerrar a postagem não era denegrir a imagem do tal presidente, pois isso ele faz sozinho, mas mostrar que assuntos sérios viram piadas e que isso é Brasil.

Fazer uma reforma ortográfica em um país onde pessoas com nível universitário não sabem nem o minímo para produzir um texto sem erros básicos de acentuação e pontuação (a prova está em milhares de blogs por aí) e permitir que sejam gastos milhões em campanhas para explicar os efeitos do álcool, enquanto a propaganda de cerveja rola solta pela TV é a verdadeira piada.
Esses milhões deveriam ser gastos na educação e no tratamento do alcolismo, inclusive do dito cujo que é defendido
com paixão.

Para encerrar e reafirmar que a Identidade Brasil é coisa que deveríamos nos envergonhar e não ficar fazendo piadas ou perder tempo defendendo governantes, a pesquisa Pulso Brasil do Instituto Ipsos, de 2007, revela que:

-
Quase 10% dos entrevistados que passaram por uma faculdade (tendo completado ou não o curso) não sabem que o Brasil se localiza na América do Sul.

- 50% dos brasileiros não sabem localizar o país no mapa-mundi.

- Para 2%, o Brasil fica na Argentina.

- Um porcentual pouco maior acha que o país se localiza na África – a dúvida é se no Chade ou na República Democrática do Congo.

- Só 18% dos brasileiros conseguem identificar os Estados Unidos e apenas 3% localizam corretamente a França.

- Quanto à Argentina, tão citada em piadas futebolísticas, 84% nem sequer desconfiam de que faz fronteira com o Brasil.

Riam à vontade.
Eu vou voltar ao mundo cor-de-rosa da decoração.

5 Faça um comentário:

Cris Ventura 17 de novembro de 2008 15:34  

Seus textos sempre me fazem refletir e não tem graça nenhuma mesmo a falta de educação e cultura no Brasil...Parabéns pelos posts!

Talma 18 de novembro de 2008 00:19  

Ah, Carlos...leia um post meu, sobre analfabetismo, no outro blog: Talma Simplesmente.
Tudo "haver", como vejo muita gente escrever.
Ler, como vc disse, já e raro e mais raro ainda, alguém entender o que está lendo. É o chamado analfabetismo funcional.
Mas quem se importa que nossa língua que foi reconstruída ( sim, porque somos colônia e falamos a língua -mãe) porque agregamos a mandioca e o candomblé?
Eu percebo que conhecimento vale menos que o BBB. Aliás, os blogs estão aí para provar isso.
A sua postagem em questão, teve ligação entre o enfoque principal e sua observação. No meu, não tenho como colocar determinados assuntos que me incomodam mais do que a cor da cortina.Por essa razão, criei o outro...para desafogar.
'Boua çorte'!

Talma 18 de novembro de 2008 00:26  
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruxinha Arteira 18 de novembro de 2008 01:52  

Parabéns pelo blog, parabéns pelos posts.

Infelizmente o povo brasileira não está acostumado a conviver com pessoas que pensam, e menos ainda com pessoas que expõe com clareza seus pensamentos.

Fazer o que? Não se deixe afetar por isso, afinal existe sempre uma minoria que é beneficiada e que tem prazer em se deparar com pessoas como vc.

beijos

Carlos Baptistini 18 de novembro de 2008 11:29  

Olá a todos.
Como o tema desta postagem resultou em algumas explosões e ataques pessoais, não publicarei mais nenhum comentário.
O direito de pensar é individual e soberano.
A intenção deste blog não é promover brigas, mas estimular opiniões.
Um abraço,
Carlos - DecorandoTudo!