sábado, 4 de outubro de 2008

Você é moderno?


Já que a postagem anterior falava (um pouco) de decoração de época, vamos falar de modernidades.
É muito comum se referir a objetos, coisas, pessoas com um estilo arrojado como "moderno".
Olha que casa moderna, que cabelo moderno, que sapato moderno e que palavras modernas.
Na decoração, quando o papo está mais pelo lado profissional, é importante diferenciar o moderno do contemporâneo.

O modernismo, de onde se origina o tal do moderno, foi um movimento da primeira metade do século XX, portanto, coisa do século passado.
Então quando você diz "nooossa que moderno!" tentando fazer um elogio pode surtir o efeito contrário.
Mas é perdoável, pois o modernismo foi tão forte, quebrou tantos conceitos e experimentou tantas propostas novas que virou um sinônimo de arrojado e contemporâneo. Aliado a isso, ele aconteceu quando a sociedade passou a consumir itens produzidos em larga escala e difundidos pela propaganda, que começava a fazer a sua lavagem cerebral nas cabecinhas inocentes. Era uma época mais ou menos como a nossa, só que ainda não tinham inventado o cartão de crédito.

O contemporâneo se utiliza em muito de conceitos criados pelo modernismo, mas, contemporâneo, é o nome correto ao estilo da época atual, ou seja, do que é produzido nos dias de hoje. Uma TV de plasma não é moderna, é contemporânea. Simples, né?
Não, não é. Mas vale a pena tentar.
Se tem materiais sintéticos (plástico, fibra ótica, resinas, fibra de carbono, teflon, silicone etc) tem uma grande chance de ser contemporâneo. Se tem preocupação marketing-ambiental-sócio-ecológica-sustentável-responsabilidade social é com certeza contemporâneo!
Se veio da China então, é batata!
O contemporâneo é quase sempre minimalista, valoriza a praticidade, discute a função e abusa da sofisticação.

Para fechar, a foto que está no começo desta postagem mostra uma espreguiçadeira moderna, a famosa Le Corbusier e a matéria completa está neste link. E a foto que fecha a postagem é de um sofá contemporâneo do Karim Rashid.

0 Faça um comentário: